O blogue serve para dar voz e partilhar os meus escritos sejam poemas, prosas e crónicas ou outro qualquer género literário. Aqui também se divulgam os meus livros. Para quem quiser ler-me... Obrigado pela vossa carinhosa presença!
04 de Maio de 2010

Benfica – Campeão virtual

(Um género de crónica)


Algo de surreal apoderou-se da minha mente. Ando intrigado se foi um sonho ou um pensamento sabático. Mas partilho-o para que também possam entrar nele:

 

Domingo 9 de Maio de 2010 – 18 horas

 

Milhares de pessoas estão prontas para fazer a festa do título de futebol 2009/10. A decisão começa a jogar-se em dois estádios portugueses nos jogos: Benfica – Rio Ave em Lisboa e no Nacional da Madeira – Braga no Funchal. Três pontos separam Benfica e Braga, mas em caso de igualdade de pontos o título será do Braga. Portanto, ao Benfica basta-lhe empatar e ou ambos, o Braga e o Benfica se perderem também será campeão. Certo, aconteça o que acontecer, é que o Braga tem que ganhar ao Nacional que ficará com o lugar na Europa em risco.

Começam os jogos. Benfica – Rio Ave: No primeiro ataque do Rio Ave, há um cruzamento para a área do Benfica e o seu guarda-redes sai dos postes e alivia a bola com um soco. O árbitro interrompe o jogo. Chama o jogador do Benfica e mostra-lhe o vermelho directo. No estádio houve-se um broaaaaa… ninguém percebe o que se passa e rodeiam o árbitro, que esclarece, apontando para a marca da grande penalidade, que houve uma agressão, punida pela Lei, com o cartão vermelho e a consequente marca da grande penalidade. O caos instala-se. O jogador do Rio Ave parte para a bola, remata e golo. Goooolooooooooooooo. Benfica ainda será campeão com os resultados actuais.

 

Nacional – Braga: O guarda-redes do Nacional ao repor a bola em jogo, num pontapé de baliza, passa a bola ao avançado do Braga, que agradece e entra por a baliza adentro com a bola dominada e faz o primeiro golo do jogo. Escandalosamente. O Braga passa para a frente do marcador e com estes resultados será o novo campeão de futebol em Portugal.

 

Os jogos continuam. Benfica – Rio Ave: No primeiro remate do Benfica, por Cardozo, à baliza do Rio Ave o árbitro interrompe o jogo. Chama o jogador e mostra-lhe o vermelho directo. Outro vermelho directo? Pernicioso. No estádio houve-se outro broaaaaa – ninguém percebe o que se passa e juram que o jogador não abriu a boca, rodeiam, novamente, o árbitro. Que considera agressão à bola, com um pontapé violento, o que justifica plenamente a acção tomada. O árbitro é soberano!

 

Nacional – Braga: Nada de novo no resultado. Apenas há a registar um lance polémico dentro da área bracarense com o central – um tal que vai para um clube grande – a cometer grande penalidade que o juiz da partida não considerou.

 

Benfica – Rio Ave: Na luz continua o resultado de 0-1 e com mais uma expulsão. Agora foi a vez de outro jogador do Benfica, para não variar, ao que parece, por palavras proferidas ao árbitro. A bom ritmo, o treinador é o senhor que se segue. Também por protestos. A nação benfiquista está de cabeça perdida. Há mais um contra-ataque dos visitantes e resulta no segundo golo, com o avançado completamente fora de jogo. Nova crise e nova reunião à volta do árbitro. Este consulta o seu árbitro assistente, não por causa do lance polémico, mas para confirmar se ainda podem expulsar mais um jogador. Segundo as regras, a equipa, ainda poderá jogar com oito jogadores. Depois do guarda-redes, do avançado e de um médio, eis o árbitro escolhe o capitão de equipa. Mais falador e inconformado, que foi poupado à expulsão nos últimos jogos, é o contemplado.

No estádio garantem que aquele árbitro não sairá dali vivo! A Polícia de choque reforça-se. Prevê-se o pior dos piores cenários. Tudo é exagerado e imprevisto. E o jogo acaba com dos minutos de descontos. Depois de tantas paragens apenas dois minutos! E o Braga vai sagrar-se campeão português pela primeira vez!

 

Nacional – Braga: Jogo nos descontos. Apenas falta o apito do árbitro para confirmar o Braga como o novo campeão de Portugal. O guarda-redes do Braga sai da grande área a gritar com os colegas para que segurem a bola. Faltam um minuto para o fim.

O defesa do Braga atrasa do meio-campo a bola para o seu guarda-redes sem olhar, este adiantado não chega à bola, o central – um tal que vai para um clube grande – olha para o que fez e todos vêem a bola entrar na baliza. Auto-golo! O Braga ao cair do pano cede o empate. Os jogadores ficam estáticos. O árbitro apita para o final do jogo. É o desalento total. O Benfica é campeão com a ajuda do Braga.

 

É ou não é surreal? Afinal o Benfica depois de campeão virtual confirma-se como o verdadeiro e justíssimo merecedor do troféu. Contra tudo e todos. E é caso para dizer que contra os Deuses e os corruptos.

 

Foi um sonho ou um pensamento sabático? Mas já que entraram nele digam-me se aconteceu mesmo!

 

4 de Maio de 2010

Eduardo Montepuez

publicado por Montepuez às 23:55
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
17
21
22
23
25
27
29
31
Posts mais comentados
4 comentários
2 comentários
2 comentários
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Amigo EduardoVotos de muitas felicidades, sobretud...
Nem só de tempo vive o Homem...
É é isso que nos alimenta o mundo de hoje ou não s...
Venho deixar um abraço com desejos de muitas alegr...
As palavras não são sempre doces. Mas são sempre n...
"Dos meus olhos,caem metáforas, iguarias e espelho...
Muito belo este registo. Quando imagens calam pala...
Eu adoro girassóis. Acho fantástico quando a luz s...
Hoje a vida faz-se de pequenas mensagens escritas ...
Ola Eduardo, estou aqui visitando seu blog pela pr...
blogs SAPO