O blogue serve para dar voz e partilhar os meus escritos sejam poemas, prosas e crónicas ou outro qualquer género literário. Aqui também se divulgam os meus livros. Para quem quiser ler-me... Obrigado pela vossa carinhosa presença!
09 de Novembro de 2010

Ontem assisti, por via da televisão, a um excelente jogo táctico de ambas equipas. Foi, se assim quisermos dividir, um distinto jogo de duas partes:

 

A primeira parte, onde uma substituição do árbitro principal foi o início da voz que se anunciava que este jogo seria para mais tarde recordar. Então assistimos à melhor exibição do Sporting no campeonato, só manchada pela impensável decisão de validar um golo com dois erros crassos, a saber – no lance é falta sobre o guarda-redes vimaranense e a bola não chega a entrar na baliza – mau demais para ser visto nos relvados portugueses e numa competição que se quer profissional. Em abono da verdade bem que gostaria de ter visto alguém do Sporting a ajudar o árbitro explicando-lhe que assim não vale.

 

Depois veio a segunda parte, num jogo partido de ataque dividido onde mais golos podiam ter acontecido, tudo isto, claro, com inúmeras oportunidades falhadas. Até que, a provar que, no melhor pano cai a nódoa, um jogador experiente tem uma atitude infantil, muito próxima daqueles jogos lá da minha rua nos tempos da minha juventude, que dá um pontapé a um colega de profissão, em resposta a uma cotovelada involuntária. Imprevisível e estúpida acção, com consequências óbvias para o clube da casa, que a jogar com menos um jogador perdeu a força anímica, de fugida para o adversário, e já em perda física viu o seu próprio barco afundar-se à conta de uns piratas (no melhor sentido) que jogaram futebol de uma forma fantástica, cheios de força anímica e com grande rigor táctico, e que demonstraram como se joga em contra-ataque. E de 2-0 se passou, rapidamente, para um 2-3 pouco esperado pelas hostes sportinguistas.

 

Cabe-me realçar, num todo, o excelente jogo de futebol praticado no campeonato português que trouxe também ao de cimo a falta de cultura desportiva dos adeptos que vão ao estádio, apenas e só, para verem o seu clube ganhar custe o que custar, não dando o merecido valor a um adversário digno, eficaz e que assumiu uma personalidade de um grande clube que o é.

 

Em prol do bom futebol, venham mais jogos destes, que, com estes ensinamentos, talvez a nossa visão tacanha de “clubite” se alargue para uma visão estrutural, de espectáculo e essencialmente de paixão ao futebol, que, esse sim, deverá estar sempre acima do clubismo.

 

Parabéns ao Vitória de Guimarães e obrigado pela excelente lição táctica e de postura que deixou na capital, esperando, com isso, que a mesma sirva os interesses do futebol nacional num futuro que se quer próximo.

 

Eduardo Montepuez

9 de Novembro de 2010

publicado por Montepuez às 22:30
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
Posts mais comentados
4 comentários
2 comentários
2 comentários
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Amigo EduardoVotos de muitas felicidades, sobretud...
Nem só de tempo vive o Homem...
É é isso que nos alimenta o mundo de hoje ou não s...
Venho deixar um abraço com desejos de muitas alegr...
As palavras não são sempre doces. Mas são sempre n...
"Dos meus olhos,caem metáforas, iguarias e espelho...
Muito belo este registo. Quando imagens calam pala...
Eu adoro girassóis. Acho fantástico quando a luz s...
Hoje a vida faz-se de pequenas mensagens escritas ...
Ola Eduardo, estou aqui visitando seu blog pela pr...
blogs SAPO