O blogue serve para dar voz e partilhar os meus escritos sejam poemas, prosas e crónicas ou outro qualquer género literário. Aqui também se divulgam os meus livros. Para quem quiser ler-me... Obrigado pela vossa carinhosa presença!
26 de Novembro de 2010

Acordei num labirinto de palavras

mas não eram palavras doces. Traziam tatuagens

de uma guerra fecunda e sórdidas tinham

punhais disfarçados de vogais. Eram afiadas

e rodopiavam na minha cabeça como quem dança

um tango. Um cansaço tórrido de gestos repetidos

os sons ritmados e as caravelas incendiadas

completavam o refrão dessa música de ninguém que

todos cantarolavam em uníssono.

Nunca saíra do labirinto de espelhos, nunca perdera

o sentimento das palavras afiadas e num ápice

adormecera para sempre… O tempo esgotara-se.

publicado por Montepuez às 21:45
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
subscrever feeds
Posts mais comentados
4 comentários
2 comentários
2 comentários
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Amigo EduardoVotos de muitas felicidades, sobretud...
Nem só de tempo vive o Homem...
É é isso que nos alimenta o mundo de hoje ou não s...
Venho deixar um abraço com desejos de muitas alegr...
As palavras não são sempre doces. Mas são sempre n...
"Dos meus olhos,caem metáforas, iguarias e espelho...
Muito belo este registo. Quando imagens calam pala...
Eu adoro girassóis. Acho fantástico quando a luz s...
Hoje a vida faz-se de pequenas mensagens escritas ...
Ola Eduardo, estou aqui visitando seu blog pela pr...
blogs SAPO