O blogue serve para dar voz e partilhar os meus escritos sejam poemas, prosas e crónicas ou outro qualquer género literário. Aqui também se divulgam os meus livros. Para quem quiser ler-me... Obrigado pela vossa carinhosa presença!
30 de Maio de 2010

Metamorfose do corpo (Poesia) Sinopse: "Este título [...] convoca-nos para uma peregrinação plena de dualidade. Se por um lado o autor [...] nos traz uma percepção sobre o que rodeia e altera o corpo, por outro nos sugere essas mesmas alterações de dentro." (do Prefácio) ISBN: 978-989-8261-99-1 - Pág.: 36 - PVP: € 7,00
A capa do meu primeiro livro
publicado por Montepuez às 22:39
28 de Maio de 2010

as jarras perseguem-me. vejo-as pregadas ao solo do meu caminho. e pelos passeios das avenidas de paris, local que visito nas noites de brandura. as jarras são um produto acabado que se destinam a procurar o meu corpo para desgastá-lo. dias impacientemente seguidos que se multiplicam por espaços a preencher. as jarras nutrem esse prazer desmedido e que buscam a minha insanidade com as suas constantes abordagens. o alcatrão é o único amigo que aceita ouvir os meus desabafos e acompanha as minhas noites de desespero.
que destino está no espaço do meu sonho?

publicado por Montepuez às 06:35
26 de Maio de 2010

as rosas não têm cor

nem corpo de olhar

as rosas não sabem da dor

nem das invejas do mar

são como luzes do jardim

que rodeiam os nossos sabores

e preenchem as vontades das damas

as rosas não têm guerras

mas são as melhores armas

publicado por Montepuez às 20:11
24 de Maio de 2010

Escravizo o meu olhar

no gesto do pensamento

ampliado… no horizonte

lesto, que se afasta do momento

 

recolho a tristeza, sábia Senhora

de quem não a soube amar!

publicado por Montepuez às 19:11
20 de Maio de 2010

Sinto-me feliz entre os sabores do vento

Sinto-me e isso relembra-me a existência

Os sonhos e os objectivos por alcançar

A luz. A vontade de caminhar

Hoje tudo é azul. O mar e o céu

E as esperanças cresceram em certezas

Um sorriso inesperado ou uma palavra

Uma notícia codificada debaixo dos pés

Vale-me o olhar e o viver!

publicado por Montepuez às 19:32
19 de Maio de 2010

se regresso houver, que traga a luz da esperança, para que clareie as razões deste retorno adiado. as noites, por aqui, têm sido longas e sólidas de negrume. é nos ponteiros do relógio, que sigo com tremor, e vejo nas badaladas as imagens que esperarei reencontrar em cada momento que as penso, como uma tortura inesgotável, onde posso imaginar as tuas paisagens de azul encantado. também quis dizer-te as palavras que ousaste ouvir da minha boca, também quis ser-te a maior estrela do céu que cobre esse corpo torneado de esperanças caídas e vontades esquecidas. se houvesse amanhã no rosto do sal que guardo certamente que seria o caminho dos passos recuperados. ainda sinto o teu sabor da desolação espalhado pelo tempo.

publicado por Montepuez às 20:56
18 de Maio de 2010

O olhar esconde o mecanismo

Do pensar. O gesto amplia a vontade

Do passo por dar. O corpo dança.

A vida solta-se desse corpo

Em fugas premiadas com o regresso

Num jogo de emoções

Desenhadas no tempo de ninguém.

publicado por Montepuez às 18:54
16 de Maio de 2010

Amarrotei as tranças (das ideias)

Dos cabelos caídos

Negros de tanta desilusão

Um rosto abriu o olhar

No gesto largo do sorriso

E o amanhecer acendeu o espírito

Num fogo raiado.

publicado por Montepuez às 14:32
14 de Maio de 2010

Em quatro ampliados minutos viajei pelo mundo dos sons e construí algumas imagens que armazenei no sótão da minha displicência.

Os sapatos que subiam as escadas de madeira – imaginei-os pretos – a suportarem um corpo feminino loucamente belo, apenas coberto por um vestido curto de alças.

O chiar da porta velha, do castelo abandonado, que se abria para a minha princesa entrar.

Mas a verdade nunca morreu. Nada ocorreu. E tudo não passou de um leve pensamento.

Como um jogo, criei os sons para agregar as imagens que julgava corresponderem, como se fosse arte, julguei-me um génio criador onde tudo me era permitido.

Com o mesmo tempo, construí e destruí o jogo da sensaboria, e dele nada retirei como um ingénuo que dá os primeiros passos.

publicado por Montepuez às 23:02
13 de Maio de 2010

O sentido de humor é uma coisa fantástica e muito saudável! Mas o melhor medidor do homem é quando tem a coragem de fazer humor com o que ama!

publicado por Montepuez às 17:37
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
17
21
22
23
25
27
29
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
4 comentários
2 comentários
2 comentários
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
1 cometário
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Amigo EduardoVotos de muitas felicidades, sobretud...
Nem só de tempo vive o Homem...
É é isso que nos alimenta o mundo de hoje ou não s...
Venho deixar um abraço com desejos de muitas alegr...
As palavras não são sempre doces. Mas são sempre n...
"Dos meus olhos,caem metáforas, iguarias e espelho...
Muito belo este registo. Quando imagens calam pala...
Eu adoro girassóis. Acho fantástico quando a luz s...
Hoje a vida faz-se de pequenas mensagens escritas ...
Ola Eduardo, estou aqui visitando seu blog pela pr...
blogs SAPO